Comprar Ingressos

MÚSICA

MARCOS PAIVA SEXTETO + KIVITZ E MAX B.O: SLAMOUSIKE

MARCOS PAIVA SEXTETO + KIVITZ E MAX B.O: SLAMOUSIKE

16.07.19: terça-feira, às 20h

Em Slamousike, o contrabaixista Marcos Paiva chamou a parceria dos rappers kivitz e Max B.O.  para unir o jazz afro-brasileiro e a cultura hip hop de uma maneira única. Usando uma linguagem mais performática, o trio de artistas mesclou o som do sexteto jazzístico, o MP6, com o rap, o slam e o grafite.


Se essas culturas nasceram no mesmo berço, por serem periféricas e afro-americanas, e, claro, por serem formas de contestação social, a simbiose construída neste trabalho entre todas elas é ainda inédita. Para escrever as letras e interpretá-las, Paiva convidou o rapper Kivitz e um dos pilares do rap paulistano, o MC Max B.O. Se Kivitz representa o sangue novo do rap social, Max é o gênio do improviso que marcou a geração dos anos 90. Ele é considerado um dos maiores rimadores do estilo freestyle do Brasil.


Musicalmente, a fluidez com que Paiva costurou as passagens entre os dois universos, enriqueceu os dois lados. O rap ganha uma condução musical mais orgânica e viva, enquanto o jazz ganha o discurso direto e potente da palavra rimada. Para construir este caráter mais teatral, o músico colocou o grafite e dança no espetáculo. Estas duas outras culturas nascidas na rua emolduram os músicos, criando um ambiente urbano. O grafite e a dança estarão no palco através de projeções do VJ Gustavo Marra.


Por fim, o nome: Slamusike.


Slam significa batida. Mousike é a palavra grega que, embora signifique música, está muito além – pois revela que a educação musical grega continha dentro de si a transmissão de noções de ética e estética. A educação oral, que também é muito difundida até hoje no continente africano, possibilita educar o outro ao fazê-lo questionar os valores expostos em nossa sociedade e os valores íntimos ou internos. Este trabalho, com a despretensão que lhe cabe, pretende, de forma singela e para além do entretenimento, estimular a discussão para a política do nosso dia-a-dia. Afinal, "o custo de vida, o preço do feijão, da farinha, do aluguel... dependem das decisões políticas". (Frase de autor desconhecido e atribuída a Bertold Brecht).


FICHA TÉCNICA

Marcos Paiva: contrabaixo;

Daniel D'Alcantara: trompete;

Jorginho Neto: trombone;

Cássio Ferreira: sax e flauta;

Gustavo Bugni: piano;

Daniel de Paula: bateria;

Kivitz: voz;

Max B.O.: voz;

Gustavo Marra: intervenção visual.


MARCOS PAIVA

Nascido em Tupã (SP), cresceu na cidade de Viçosa, no interior de Minas Gerais, morou no Rio de Janeiro e se mudou para São Paulo em 2000. Iniciou sua carreira solo em 2007, com o lançamento dos CDs São Mateus (Marcos Paiva Sexteto) e Regra de Três (ao lado de Lupa Santiago e Bob Waytt). Desde então, vem se destacando no cenário musical brasileiro e chamando a atenção da crítica e do público para desenhar um caminho próprio e com muita identidade. Citado pela crítica musical como um dos principais músicos da nova safra da música brasileira, o contrabaixista marca suas apresentações por vigorosas improvisações e arranjos arrojados.


KIVITZ

Rapper, compositor, produtor musical e arranjador, iniciou sua carreira em 2014, ao lançar o EP "Profissão Profeta". Em 2015, lançou seu segundo EP, o álbum "Casa ≠ Lar". Gravou com vários artistas, como a cantora Daniela Araújo, Tanlan e o grupo de rap Ao Cubo. Em 2016, se juntou ao músico Will Bone, e gravou o EP "Horas Vagas" e lançou o EP ao vivo "Will Bone & Kivitz no #ShowLivreDay+". Lançou seu primeiro álbum, em 2018, com participações especiais de Rashid, Dona Kelly - Ao Cubo, Stefanie, DJ Erick Jay, DJ RM, Paulo Nazareth e Biro.


MAX B.O.

Músico, compositor e apresentador do programa Manos e Minas, da TV Cultura. A trajetória de Max B.O. teve início em um festival estudantil e com faixas solo e outras gravadas com o extinto grupo Academia Brasileira de Rimas. Nos últimos tempos, é o responsável pela apresentação de festivais de diversos segmentos, como: BrasilinTime, Show da Consciência Negra, Virada Cultural, Encontro Paulista de Hip Hop e Indie Hip Hop. Tem trabalhos ao lado de Trio Mocotó, Funk Como Le Gusta, Black Alien, Mamelo Sound System, Thaide & Dj Hum, Marcelo D2, Seu Jorge, Nação Zumbi, RZO, O Rappa, DJ Patife, OTTO, Afrika Bambaataa, Zion I, De La Soul, entre outros.

MÚSICA

Maurício Pereira: Clipes, Grampos e Tônicos 04, 11, 18 e 25.11.19: segundas às 20h

Maurício Pereira: Clipes, Grampos e Tônicos

MÚSICA

Victoria dos Santos: Tambor, Coxia e Carnaval 19.11.19: terça-feira, às 20h

Victoria dos Santos: Tambor, Coxia e Carnaval

PERFORMANCE

Thaís de Almeida Prado: Expurgo. da Violência. dos corpos que colidem. da asfixia. do medo de uma metrópole 07, 08, 14, 21, 22, 28 e 29.11.19: quintas e sextas, às 20h

Thaís de Almeida Prado: Expurgo. da Violência. dos corpos que colidem. da asfixia. do medo de uma metrópole

MÚSICA

Tatá Aeroplano: Um Brinde à mãe da Lua 26.11.19: terça-feira às 20h

Tatá Aeroplano: Um Brinde à mãe da Lua