Comprar Ingressos

TEATRO

Rudinei Borges dos Santos: "CHÃO DE TERRA BATIDA" E "MEMORIAL DOS MENINOS"

Rudinei Borges dos Santos: "CHÃO DE TERRA BATIDA" E "MEMORIAL DOS MENINOS"

28.06.19: sexta-feira às 20h

Rudinei Borges Dos Santos é um dos autores mais inquietos da dramaturgia brasileira contemporânea, desvelando a completude e as contradições do Brasil atual numa bem-vinda intersecção entre poesia e texto para a cena. Nascido no interior do Pará, o autor amazônida realiza a sua primeira residência artística no Centro da Terra, onde apresenta, em diálogo com vários artistas, marcas do terreno infértil da condição humana. Quatro peças de sua autoria serão encenadas: "Transamazônica", "Ka'Atinga", "Sertão Sem Fim" e "Todo Sacrifício Feito Em Teu Nome". A residência também realiza um sarau em que mais de vinte atores farão a leitura coletiva de dois livros de poesia do autor: "Chão de Terra Batida", publicado em 2009, e "Memorial dos Meninos", publicado em 2014.


SARAU E LEITURA: "CHÃO DE TERRA BATIDA" E "MEMORIAL DOS MENINOS"


Mais de 20 atores fazem leitura coletiva de duas obras poéticas de Rudinei Borges Dos Santos com intervenções musicais e teatrais.


Duração: 120 minutos

Classificação indicativa: Livre


RUDINEI BORGES DOS SANTOS
Nasceu de uma família de colonos migrantes da Transamazônica, em Itaituba, oeste do Pará, na Amazônia brasileira, onde iniciou a sua formação teatral. É poeta, ficcionista e dramaturgo. Doutorando e Mestre em Educação pela Universidade de São Paulo [USP]. Graduou-se em Filosofia. Autor indicado ao Prêmio Shell de Teatro/2016 pela obra cênica "Dezuó, Breviário das Águas". Publicou os livros "Epístola.40", "Memorial dos Meninos", "Dentro é Lugar Longe" e "Chão de Terra Batida" e, ainda, o ensaio "Teatro no Ônibus" e a revista "Fagulhas". É autor de, pelo menos, 10 obras teatrais encenadas em Angola e no Brasil, entre elas: "Transamazônica", "Todo Sacrifício Feito em Teu Nome", "Medea Mina Jeje", "Luzeiros", "Revolver", "Agruras - ensaio sobre o desamparo", "Fé e Peleja" e "Dentro é Lugar Longe". Peças de sua autoria foram apresentadas no Festeca - Festival Internacional de Teatro Do Cazenga (Angola), no FIT Rio Preto, no Festival de Dança de Londrina, no Festival Nacional de Presidente Prudente, no Festival Satyrianas, no Feverestival Campinas, no Festival de Artes Cênicas de Bragança Paulista, no Mono Festival of One-to-One Performance, na Mostra Mario Pazini de Teatro do Gueto e na Mostra de Teatro de Heliópolis. As peças "Dezuó, Breviário das Águas" e "Epístola.40" integram a lista de textos sugeridos em processos seletivos da Escola de Artes Dramáticas [EAD/USP] e da ELT – Escola Livre de Teatro. Como dramaturgo, participou de projetos cênicos da Oka, Avoa! núcleo artístico, Agrupamento Andar7, Trupe Sinhá Zózima, Coletivo Negro, Companhia Do Miolo e 127 Fundos. Atuou como roteirista do Núcleo de Cinema do Sertão que Virou Mar e como editor do site Mais Revista Cultura. Em 2011, fundou o Núcleo Macabéa, da Cooperativa Paulista de Teatro, onde, atuando como diretor artístico e dramaturgo, desenvolve criações teatrais com ênfase na intersecção entre dramaturgia, memória e história oral. Integrou cursos de atuação, dramaturgia e encenação do Teatro Escola Macunaíma, da SP Escola de Teatro e da ELT. Foi contemplado pelo Concurso de Texto Inédito de Dramaturgia do Programa de Ação Cultural [PROAC], pelo Programa de Valorização de Iniciativas Culturais [VAI], pelo Prêmio FUNARTE de Teatro Myriam Muniz e pelo Programa Municipal de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo. Integrou a comissão de seleção da 3° Edição do Prêmio Zé Renato de Teatro e dos PROACs de Incentivo à Criação Literária Infantil e/ou Juvenil e Incentivo à Criação e Publicação Literária – Poesia. Poemas de sua autoria foram publicados nos sites e revistas Babel Poética, Releituras, Zagaia e Jornal de Poesia. Publica textos literários e ensaios sobre teatro nos sites Memorial dos Meninos e Alzira Revista.

MÚSICA

Maurício Pereira: Clipes, Grampos e Tônicos 04, 11, 18 e 25.11.19: segundas às 20h

Maurício Pereira: Clipes, Grampos e Tônicos

MÚSICA

Victoria dos Santos: Tambor, Coxia e Carnaval 19.11.19: terça-feira, às 20h

Victoria dos Santos: Tambor, Coxia e Carnaval

PERFORMANCE

Thaís de Almeida Prado: Expurgo. da Violência. dos corpos que colidem. da asfixia. do medo de uma metrópole 07, 08, 14, 21, 22, 28 e 29.11.19: quintas e sextas, às 20h

Thaís de Almeida Prado: Expurgo. da Violência. dos corpos que colidem. da asfixia. do medo de uma metrópole

MÚSICA

Tatá Aeroplano: Um Brinde à mãe da Lua 26.11.19: terça-feira às 20h

Tatá Aeroplano: Um Brinde à mãe da Lua