Comprar Ingressos

MÚSICA

Luiza Brina: Construções para sentir saudade

Luiza Brina: Construções para sentir saudade

12.11.19: terça às 20h

“Como será que a música começa?”, verso-questão que abre "Tenho saudade mas já passou", o novo álbum de Luiza Brina, deixa ressoar os mistérios da canção já nos primeiros segundos do trabalho, recém lançado pela Matraca Records / YB Music sob produção musical de Fernando Rischbieter e direção artística de César Lacerda. A pergunta, vinda de uma parceria estreante da artista com Ceumar, ganha abrigo na apresentação que Luiza faz no dia 12 de novembro no Centro da Terra, sob curadoria de Alexandre Matias. Em "construções para sentir saudade", a cantora-e-compositora-e-arranjadora-e-produtora-e-multi-instrumentista experimenta, tanto no repertório como na forma, os caminhos da sua canção. São músicas de seu repertório e do repertório de grandes influências para o seu violão e a sua música que ajudam a moldar uma espécie de inventário de seu novo álbum. Um mergulho no processo, e um multiplicar de caminhos que ela faz com a colaboração de Zé Manoel e François Muleka.


Luiza Brina

É compositora, cantora, arranjadora e multiinstrumentista. Em carreira solo, possui três álbuns lançados:  "A toada vem é pelo vento", de 2012, "Tão Tá", de 2017, produzido por Chico Neves, e lançado no Japão pelo selo Inpartmaint Inc, com destaque na revista LATINA, e "Tenho saudade mas já passou", de 2019, que conta com produção de Fernando Rischbieter e direção artística de César Lacerda. É também vocalista, guitarrista e compositora da banda Graveola, tendo cinco discos com o grupo, prestes a lançar o sexto. Atuou ainda como violonista, vocalista e compositora do CD do Coletivo ANA, de 2015, com participação de Ná Ozzetti. No último ano, coarranjou o álbum cantora e compositora Julia Branco, "Soltar os Cavalos". Luiza é também violonista e guitarrista da banda do cantautor Castello Branco e violonista do VerdeVioleta, da flautista Aline Gonçalves.



Ficha técnica

Luiza Brina: voz, violão, guitarra e baixo

François Muleka: voz e violão

Zé Manoel: voz e piano


César Lacerda: direção artística